torrentway.com Signatures

Ignoto Ego

29.6.04

O que sinto quando caminho até Maya

Fitas de prata sobrevoando um espaço de defumação
Anunciam a chegada de um messias relativo.
Um ruído persistindo na escuridão, também ela relativa,
Faz deste motivo o mais absoluto quadro desta vida.
Passo a explicar: tendo fixado residência num posto de contemplação
Eis-me quase estendido, à força de olhar acometido.
Dura a prova (Sê-de ova num oceano de peixes maduros
Quando tudo desabar erguer-te será inspirar de novo) pelo sentido colectivo travada
É como se, de repente, uma enxada te caísse - memorável o estrépito -
E uma porta se abrisse para um campo infinito.
Simples, de facto, tudo parece claro até à contradição primeira.
Qual quê, então as sementes, as peneiras, os arados
A perda das estribeiras em fardos equivocados,
A colheita, o suor da intempérie pode em escorreita letra
Ilustrar aquela mesma mentira abjecta?
Tome-se a crença, por exemplo, sem querer ser pedagogo
De pinça armado para destrinçar o acesso ao Todo.
Transpira ou não a abstracção de um inclemente astro?
Maya ilusão, intuição sem rasto.


Custom Search
Share
CURRENT MOON
moon info
Would you consider supporting this freelancing MC? Now you can paypal this ignoto yet unveiling ego every now and then;) [
]